• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

Vai, mundo, gire! Apenas gire!

Por Sophia Rodovalho
Esta coluna ‘nasceu’ em virtude de uma situação de grande adversidade e dificuldade que presenciei. Enquanto ‘assistia’ a tudo e observava a reação das pessoas, a insegurança, o medo delas, me veio à cabeça Einstein, que disse: “ No meio de qualquer dificuldade, encontra-se a oportunidade”. Tinha razão e genialmente, como sempre, nos mostrou isto.

Assim é a vida: estamos tranquilos, seguros de nossa situação, tendo algumas ‘certezas’, buscando resolver nossos problemas usuais e de repente, não mais que de repente, a vida nos surpreende com uma mudança tão grande, mas tão grande, que nos dá a sensação de ‘perdermos o chão’, de não acharmos a saída, de nos sentirmos sozinhos em meio a um tsunami...

Grandes problemas são assim mesmo: chegam sem avisar, avassaladores, grandes, intensos, nos tiram o foco, nos causam pavor e medo, nos deixam sem esperança e parece que não o resolveremos.
Respire, apenas respire e acalme-se! Se você estiver afobado, desesperado, girando em círculos, se você não estiver raciocinando corretamente, se não estiver colocando ‘às idéias” em ordem, esta situação tende-se a alongar mais e ser mais sofrida do que, naturalmente, já o é.

Antoine de Saint-Exupéry disse, sabiamente, que “na vida, não existem soluções. Existem forças em marcha: é preciso criá-las e, então, a elas seguem-se as soluções”.

Pois bem, não importa a ‘peça que a vida tenha pregado’, mas sim a força que vamos usar para buscarmos estratégias e então, chegarmos a uma nova situação boa, adequada e feliz.

Em linhas gerais, a adversidade não vem de nossas mãos, mas nos atingem, entretanto, a ‘solução’ para elas, está conosco, em nossas mãos!

Eduardo Shinyashiki (fonte Revista Psique Ciência & Vida), afirma que ‘se não soubermos lidar com as adversidades que aparecem em nosso caminho acabamos dando força aos sentimentos negativos e eles ficam sempre presentes na nossa vida'.

Então, após respirar e se acalmar, busque olhar a situação de fora, como se você não estivesse envolvido e fosse afetado por ela. Quando olhamos de fora a situação, temos a sensação de não fazermos parte do problema e isso torna mais fácil pensar racionalmente sobre ele, não é?

Quantas vezes não dizemos: “Áh, mas você fala isso, porque não é com você!”. Exato! Quando não estamos emocionalmente envolvidos e emaranhados no problema, olhamos para ele de forma mais neutra, menos emotiva e, de forma mais racional, pensamos em saídas e caminhos viáveis para solucioná-lo.

Por isso, proponho que você experimente ter uma visão ‘ampla’ e ‘de fora’ do problema. Tente compreender exatamente a mensagem que o problema lhe passa.

Por exemplo, se você perdeu seu emprego, busque compreender a mensagem que este problema lhe passa! De uma maneira muito prática, a mensagem é: “Como farei para ter renda e continuar a me sustentar e aos meus?”.

Como diz Shinyashiki: “ Quando mudamos o ponto de vista, vemos o mesmo problema com outra perspectiva.”. Busque se colocar na posição de observador, imagine o que você diria à esta pessoa, no sentido de ajudá-la a encontrar um caminho e a solução ao problema.

O enfrentamento de todo o problema, é que nos faz mais fortes, mais confiantes, mais criativos, pois aprendemos a priorizar e negociar situações. Esse enfrentamento nos ajudará a vencer os obstáculos futuros que aparecerão em nossas vidas. Sim, pois eles aparecem e sem avisar com antecedência.

Ainda parafraseando Shinyashiki: “Ter a coragem de olhar o mundo e a sua própria realidade sob outros pontos de vista, é maravilhoso e libertador”.

Desejo que todos consigamos fazer o exercício de olharmos de fora às situações, analisarmos nossos problemas com serenidade e encontrarmos um caminho viável para que retomemos nossa paz interior.

Por fim, dedico esse trecho, da belíssima música do Queen a todos nós, que não desistimos nunca e giramos junto com as voltas que o mundo dá, adaptando-nos a elas e nos tornando vencedores: “ (...) but I've come through, and we mean to go on and on and on and on. We are the champions, my friends, and we'll keep on fighting till the end. We are the champions, we are the champions, no time for losers. 'Cause we are the champions of the world (...)” (Tradução: “(...) mas eu sobrevivi e pretendemos continuar e continuar e continuar. Nós somos os campeões, meus amigos, e nós continuaremos lutando até o fim, nós somos os campeões, nós somos os campeões, os perdedores não têm vez, pois nós somos os campeões do mundo (...)”. We are the champions.
Sim, somos os campeões, pois não nos deixamos abater, não desanimamos, não deixamos de lutar. Seguimos firmes!

Vai, mundo, gire! Apenas gire!

Por Sophia Rodovalho
Esta coluna ‘nasceu’ em virtude de uma situação de grande adversidade e dificuldade que presenciei. Enquanto ‘assistia’ a tudo e observava a reação das pessoas, a insegurança, o medo delas, me veio à cabeça Einstein, que disse: “ No meio de qualquer dificuldade, encontra-se a oportunidade”. Tinha razão e genialmente, como sempre, nos mostrou isto.

Assim é a vida: estamos tranquilos, seguros de nossa situação, tendo algumas ‘certezas’, buscando resolver nossos problemas usuais e de repente, não mais que de repente, a vida nos surpreende com uma mudança tão grande, mas tão grande, que nos dá a sensação de ‘perdermos o chão’, de não acharmos a saída, de nos sentirmos sozinhos em meio a um tsunami...

Grandes problemas são assim mesmo: chegam sem avisar, avassaladores, grandes, intensos, nos tiram o foco, nos causam pavor e medo, nos deixam sem esperança e parece que não o resolveremos.
Respire, apenas respire e acalme-se! Se você estiver afobado, desesperado, girando em círculos, se você não estiver raciocinando corretamente, se não estiver colocando ‘às idéias” em ordem, esta situação tende-se a alongar mais e ser mais sofrida do que, naturalmente, já o é.

Antoine de Saint-Exupéry disse, sabiamente, que “na vida, não existem soluções. Existem forças em marcha: é preciso criá-las e, então, a elas seguem-se as soluções”.

Pois bem, não importa a ‘peça que a vida tenha pregado’, mas sim a força que vamos usar para buscarmos estratégias e então, chegarmos a uma nova situação boa, adequada e feliz.

Em linhas gerais, a adversidade não vem de nossas mãos, mas nos atingem, entretanto, a ‘solução’ para elas, está conosco, em nossas mãos!

Eduardo Shinyashiki (fonte Revista Psique Ciência & Vida), afirma que ‘se não soubermos lidar com as adversidades que aparecem em nosso caminho acabamos dando força aos sentimentos negativos e eles ficam sempre presentes na nossa vida'.

Então, após respirar e se acalmar, busque olhar a situação de fora, como se você não estivesse envolvido e fosse afetado por ela. Quando olhamos de fora a situação, temos a sensação de não fazermos parte do problema e isso torna mais fácil pensar racionalmente sobre ele, não é?

Quantas vezes não dizemos: “Áh, mas você fala isso, porque não é com você!”. Exato! Quando não estamos emocionalmente envolvidos e emaranhados no problema, olhamos para ele de forma mais neutra, menos emotiva e, de forma mais racional, pensamos em saídas e caminhos viáveis para solucioná-lo.

Por isso, proponho que você experimente ter uma visão ‘ampla’ e ‘de fora’ do problema. Tente compreender exatamente a mensagem que o problema lhe passa.

Por exemplo, se você perdeu seu emprego, busque compreender a mensagem que este problema lhe passa! De uma maneira muito prática, a mensagem é: “Como farei para ter renda e continuar a me sustentar e aos meus?”.

Como diz Shinyashiki: “ Quando mudamos o ponto de vista, vemos o mesmo problema com outra perspectiva.”. Busque se colocar na posição de observador, imagine o que você diria à esta pessoa, no sentido de ajudá-la a encontrar um caminho e a solução ao problema.

O enfrentamento de todo o problema, é que nos faz mais fortes, mais confiantes, mais criativos, pois aprendemos a priorizar e negociar situações. Esse enfrentamento nos ajudará a vencer os obstáculos futuros que aparecerão em nossas vidas. Sim, pois eles aparecem e sem avisar com antecedência.

Ainda parafraseando Shinyashiki: “Ter a coragem de olhar o mundo e a sua própria realidade sob outros pontos de vista, é maravilhoso e libertador”.

Desejo que todos consigamos fazer o exercício de olharmos de fora às situações, analisarmos nossos problemas com serenidade e encontrarmos um caminho viável para que retomemos nossa paz interior.

Por fim, dedico esse trecho, da belíssima música do Queen a todos nós, que não desistimos nunca e giramos junto com as voltas que o mundo dá, adaptando-nos a elas e nos tornando vencedores: “ (...) but I've come through, and we mean to go on and on and on and on. We are the champions, my friends, and we'll keep on fighting till the end. We are the champions, we are the champions, no time for losers. 'Cause we are the champions of the world (...)” (Tradução: “(...) mas eu sobrevivi e pretendemos continuar e continuar e continuar. Nós somos os campeões, meus amigos, e nós continuaremos lutando até o fim, nós somos os campeões, nós somos os campeões, os perdedores não têm vez, pois nós somos os campeões do mundo (...)”. We are the champions.
Sim, somos os campeões, pois não nos deixamos abater, não desanimamos, não deixamos de lutar. Seguimos firmes!

INSTAGRAM

Loading interface...
© Rápido no Ar ® - O que acontece você vê!