• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

Quando a separação acontece

Por Sophia Rodovalho
“Afinal de contas, os computadores estão quebrados, pessoas morrem e relacionamentos acabam. O melhor que podemos fazer é respirar e reiniciar.” Sex and the City



Estes dias atrás, pensando sobre relacionamentos, me lembrei desta frase impactante. Ela nos faz refletir que nada é para sempre, em algum momento as coisas podem acabar, por isso, é importante que possamos viver os momentos da melhor forma possível, sendo intensos, sendo dedicados, nos envolvendo, entretanto, é importante termos em mente que tudo pode ser acabar, que infelizmente poucas são as coisas que duram para sempre, os relacionamentos estão entre elas.

Em geral, ninguém inicia um namoro, se envolve, faz planos, dá passos importantes, inicia uma vida a dois, para que esta tenha fim, mas...

...Mas a vida a dois pode ser finita, pode acabar, pode sim terminar, por várias e diversas razões. Não temos garantia eterna de uma vida a dois!


E quando/se acaba, o chão some dos pés, o medo da solidão permeia os pensamentos dos dois ou de um dos dois, a ansiedade pode aparecer, dúvidas sobre o porquê ele acabou são frequentes e atordoam. Por que? Onde foi que errei? Que aconteceu? Alguém mais interessante que surgiu? O choro pode se tornar mais frequente que antes, aquele nó na garganta ‘do nada’, as lembranças boas judiam, parece que tudo vira sofrimento, parece que nada vai mudar ou melhorar. O cenário segue difícil, duro.

E pensando nisso, li uma frase também tão adequada, que diz: “Não importa onde você parou.... em que momento da vida você cansou... o que importa é que sempre é possível recomeçar.” Paulo Roberto Gaefke

Sim, é sempre possível recomeçar. É necessário recomeçar. É valioso encarar o fim, o sofrimento, a tristeza e ter a coragem de buscar o recomeço, a felicidade, o sorriso.

Para que qualquer recomeço ocorra, é importante entender que acabou, aceitar que acabou, independente dos motivos, dos erros, dos acertos, dos planos. Ficar preso ao que foi, ao que seria, ao que poderia ter sido se ainda existisse o relacionamento é extremamente penoso e atrasa a superação. Atrasa a busca pela felicidade.


Remoer o passado, remoer erros, o que foi é penoso demais! Não faça isso! Olhe a diante, olhe o que pode ser, a felicidade que ainda pode existir, apesar de toda a tristeza e do fim.

Apesar do fim, muito se aprende com um relacionamento. Se aprende a amar, dar e receber amor, se aprende sobre doação, se aprende sobre lidar com frustração, sobre conviver e negociar, sobre rir, sobre enfrentar desafios. No final, não é tão ruim assim, pois muito ficou, muito aprendizado aconteceu.

Mudamos muito, nos desenvolvemos, evoluímos, apesar do fim!

Como dizia Rubem Alves: “Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses.” Rubem Alves

Quando a separação acontece

Por Sophia Rodovalho
“Afinal de contas, os computadores estão quebrados, pessoas morrem e relacionamentos acabam. O melhor que podemos fazer é respirar e reiniciar.” Sex and the City



Estes dias atrás, pensando sobre relacionamentos, me lembrei desta frase impactante. Ela nos faz refletir que nada é para sempre, em algum momento as coisas podem acabar, por isso, é importante que possamos viver os momentos da melhor forma possível, sendo intensos, sendo dedicados, nos envolvendo, entretanto, é importante termos em mente que tudo pode ser acabar, que infelizmente poucas são as coisas que duram para sempre, os relacionamentos estão entre elas.

Em geral, ninguém inicia um namoro, se envolve, faz planos, dá passos importantes, inicia uma vida a dois, para que esta tenha fim, mas...

...Mas a vida a dois pode ser finita, pode acabar, pode sim terminar, por várias e diversas razões. Não temos garantia eterna de uma vida a dois!


E quando/se acaba, o chão some dos pés, o medo da solidão permeia os pensamentos dos dois ou de um dos dois, a ansiedade pode aparecer, dúvidas sobre o porquê ele acabou são frequentes e atordoam. Por que? Onde foi que errei? Que aconteceu? Alguém mais interessante que surgiu? O choro pode se tornar mais frequente que antes, aquele nó na garganta ‘do nada’, as lembranças boas judiam, parece que tudo vira sofrimento, parece que nada vai mudar ou melhorar. O cenário segue difícil, duro.

E pensando nisso, li uma frase também tão adequada, que diz: “Não importa onde você parou.... em que momento da vida você cansou... o que importa é que sempre é possível recomeçar.” Paulo Roberto Gaefke

Sim, é sempre possível recomeçar. É necessário recomeçar. É valioso encarar o fim, o sofrimento, a tristeza e ter a coragem de buscar o recomeço, a felicidade, o sorriso.

Para que qualquer recomeço ocorra, é importante entender que acabou, aceitar que acabou, independente dos motivos, dos erros, dos acertos, dos planos. Ficar preso ao que foi, ao que seria, ao que poderia ter sido se ainda existisse o relacionamento é extremamente penoso e atrasa a superação. Atrasa a busca pela felicidade.


Remoer o passado, remoer erros, o que foi é penoso demais! Não faça isso! Olhe a diante, olhe o que pode ser, a felicidade que ainda pode existir, apesar de toda a tristeza e do fim.

Apesar do fim, muito se aprende com um relacionamento. Se aprende a amar, dar e receber amor, se aprende sobre doação, se aprende sobre lidar com frustração, sobre conviver e negociar, sobre rir, sobre enfrentar desafios. No final, não é tão ruim assim, pois muito ficou, muito aprendizado aconteceu.

Mudamos muito, nos desenvolvemos, evoluímos, apesar do fim!

Como dizia Rubem Alves: “Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses.” Rubem Alves

INSTAGRAM

Loading interface...
© Rápido no Ar ® - O que acontece você vê!