• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

Como lidar com a ansiedade

Por Sophia Rodovalho
“Nada é tão lamentável e nocivo como antecipar desgraças. ” Sêneca

Vivemos dias em que o medo das notícias ruins se agigantou. Se pararmos para pensar, quase sempre demonstramos medo de notícias que desconhecemos. Pense aqui comigo, o que você sente quando alguém lhe diz: ‘Preciso falar com você, depois.’.

A maior parte das pessoas pede: ‘me fale agora, não espere.’ ou ‘o que foi que aconteceu?’ ou ainda ‘ai que nervoso’.... e por que?

É o medo do desconhecido, porque o que não conhecemos nos deixa tensos, ansiosos e inseguros. Áh como seria bom se conseguíssemos controlar as coisas ao nosso redor e não fôssemos surpreendidos com nada médio / ruim. Seria maravilhoso podermos ter esse controle, mas está aí 2020 e suas surpresas que não nos deixa iludidos: não temos controle de nada, não é tudo que conseguimos modificar ou dominar, muitas vezes nos resta receber as notícias, tentar entender e assimilar o que se passa e agirmos, nos adaptarmos a realidade que nos apresenta.

Regina Castillo afirma que a “Ansiedade é um sentimento vago e desagradável de medo, apreensão, caracterizado por tensão ou desconforto derivado de antecipação de perigo, de algo desconhecido ou estranho”.

Nosso 2020 começou recheado de notícias que nos causam ansiedade, mas sem dúvida o Covid-19 foi a maior delas. Nos causa ansiedade por ser um vírus de fácil contágio, que causa uma doença rápida e de cura difícil, especialmente em idosos e pessoas com problemas de saúde pré-existentes.

Fomos surpreendidos por um vírus que arrasou a Itália e a Espanha, tomou a Inglaterra, marcou Nova Iorque da forma mais triste e veio implacável em direção ao Brasil. Dia após dia, hora após hora somos surpreendidos por estatísticas de contaminados, de casos suspeitos, de mortos. Nos assusta e assombra vermos que foram 80 mortos, 100 mortos, 117 mortos e assim por diante, temos medo que essa estatística se aproxime de nós e de nossos conhecidos. Queremos nos proteger e aos nossos, ao mesmo tempo, sabemos que precisamos trabalhar e produzir, mas muitos de nós não consegue sair e trabalhar, está em quarentena.

O medo de nosso sistema de saúde não conseguir dar conta da demanda dos doentes nos assusta, mas como viver em um país com uma economia frágil e com empregos caindo e não ficarmos inseguros também com a questão financeira?

Isso tudo nos faz experimentar os sintomas mais cruéis da ansiedade: inquietação, irritabilidade, falta de concentração, pensamentos indesejados e/ou acelerados, sudorese excessiva, insônia, preocupação excessiva, medo, palpitações, tremedeiras, dentre outros.

E como lidar com tudo isso? Faça exercícios físicos, respire concentrada e pausadamente, ocupe-se com o momento presente, valorize seus momentos de descanso e procure ter horas de sono saudáveis, evite pensamentos negativos, hidrate-se e faça a ingestão de alimentos saudáveis, além de inserir alimentos triptofanos, pois eles ajudam na manutenção dos neurotransmissores, são eles: peixes, ovos, nozes, castanhas, legumes como feijão, lentilha e soja, linhaça, aveia, chocolate amargo, dentre outros.

Cuide-se e cuide de seu emocional, faça Psicoterapia, fale com seu Psicólogo, não deixe o sofrimento deste momento lhe atropelar.

Encerro com um convite a reflexão: “Mas sem ansiedade: o tempo que temos, se estamos atentos, será sempre exato.” Caio Fernando Abreu

Como lidar com a ansiedade

Por Sophia Rodovalho
“Nada é tão lamentável e nocivo como antecipar desgraças. ” Sêneca

Vivemos dias em que o medo das notícias ruins se agigantou. Se pararmos para pensar, quase sempre demonstramos medo de notícias que desconhecemos. Pense aqui comigo, o que você sente quando alguém lhe diz: ‘Preciso falar com você, depois.’.

A maior parte das pessoas pede: ‘me fale agora, não espere.’ ou ‘o que foi que aconteceu?’ ou ainda ‘ai que nervoso’.... e por que?

É o medo do desconhecido, porque o que não conhecemos nos deixa tensos, ansiosos e inseguros. Áh como seria bom se conseguíssemos controlar as coisas ao nosso redor e não fôssemos surpreendidos com nada médio / ruim. Seria maravilhoso podermos ter esse controle, mas está aí 2020 e suas surpresas que não nos deixa iludidos: não temos controle de nada, não é tudo que conseguimos modificar ou dominar, muitas vezes nos resta receber as notícias, tentar entender e assimilar o que se passa e agirmos, nos adaptarmos a realidade que nos apresenta.

Regina Castillo afirma que a “Ansiedade é um sentimento vago e desagradável de medo, apreensão, caracterizado por tensão ou desconforto derivado de antecipação de perigo, de algo desconhecido ou estranho”.

Nosso 2020 começou recheado de notícias que nos causam ansiedade, mas sem dúvida o Covid-19 foi a maior delas. Nos causa ansiedade por ser um vírus de fácil contágio, que causa uma doença rápida e de cura difícil, especialmente em idosos e pessoas com problemas de saúde pré-existentes.

Fomos surpreendidos por um vírus que arrasou a Itália e a Espanha, tomou a Inglaterra, marcou Nova Iorque da forma mais triste e veio implacável em direção ao Brasil. Dia após dia, hora após hora somos surpreendidos por estatísticas de contaminados, de casos suspeitos, de mortos. Nos assusta e assombra vermos que foram 80 mortos, 100 mortos, 117 mortos e assim por diante, temos medo que essa estatística se aproxime de nós e de nossos conhecidos. Queremos nos proteger e aos nossos, ao mesmo tempo, sabemos que precisamos trabalhar e produzir, mas muitos de nós não consegue sair e trabalhar, está em quarentena.

O medo de nosso sistema de saúde não conseguir dar conta da demanda dos doentes nos assusta, mas como viver em um país com uma economia frágil e com empregos caindo e não ficarmos inseguros também com a questão financeira?

Isso tudo nos faz experimentar os sintomas mais cruéis da ansiedade: inquietação, irritabilidade, falta de concentração, pensamentos indesejados e/ou acelerados, sudorese excessiva, insônia, preocupação excessiva, medo, palpitações, tremedeiras, dentre outros.

E como lidar com tudo isso? Faça exercícios físicos, respire concentrada e pausadamente, ocupe-se com o momento presente, valorize seus momentos de descanso e procure ter horas de sono saudáveis, evite pensamentos negativos, hidrate-se e faça a ingestão de alimentos saudáveis, além de inserir alimentos triptofanos, pois eles ajudam na manutenção dos neurotransmissores, são eles: peixes, ovos, nozes, castanhas, legumes como feijão, lentilha e soja, linhaça, aveia, chocolate amargo, dentre outros.

Cuide-se e cuide de seu emocional, faça Psicoterapia, fale com seu Psicólogo, não deixe o sofrimento deste momento lhe atropelar.

Encerro com um convite a reflexão: “Mas sem ansiedade: o tempo que temos, se estamos atentos, será sempre exato.” Caio Fernando Abreu

INSTAGRAM

Loading interface...
© Rápido no Ar ® - O que acontece você vê!