Rio Tietê transborda no interior paulista

Cidades cortadas pelo rio Tietê na Grande São Paulo e no interior enfrentam, nesta terça-feira, 11, as enchentes causadas pelo transbordamento do rio, após receber as chuvas que levaram o caos à capital na segunda-feira, 10. O grande volume de água obrigou à abertura das comportas das barragens do Rasgão, Pirapora do Bom Jesus e Porto Góes, por razões de segurança. Com isso, as águas atingiram rapidamente as cidades à jusante (rio abaixo).

Em Pirapora do Bom Jesus, o Tietê saiu do leito, invadiu ruas da região central e isolou bairros. Ao menos 100 pessoas tiveram de abandonar as casas e foram abrigadas em uma escola. A prefeitura decretou estado de emergência e as aulas estão suspensas, devendo voltar apenas na quinta-feira, 13. O cenário se repetiu em Cabreúva, onde o rio transbordou, cobriu estradas e alagou bairros como o do Bananal, que está isolado.

As águas invadiram a Estrada dos Romeiros, único acesso ao bairro, que também teve queda de barreiras e está interditada nesta manhã. Famílias que tiveram as casas alagadas estão sendo atendidas na Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro. Na manhã desta terça, um helicóptero da Polícia Militar foi usado para resgatar duas pessoas que precisaram de socorro médico de emergência.

Em Salto, o rio Tietê cobriu a Ilha dos Amores e invadiu o complexo turístico da Cachoeira. O Memorial do Rio Tietê foi invadido pelas águas e a Ponte Pênsil foi interditada. Ruas e avenidas do centro foram inundadas. No bairro Três Marias, até a base da Guarda Municipal precisaram ser evacuada. Moradores das áreas ribeirinhas, que haviam sido alertados pela Defesa Civil, deixaram as casas e se abrigaram com parentes.

Em Tietê, a enchente do rio que dá nome à cidade deixou ilhados os bairros que ficam além do Ribeirão da Serra. Toda a região do Beira-Rio está interditada. O estádio do Comercial foi alagado. Em Porto Feliz, o Parque das Monções, principal ponto turístico, ficou sob as águas do Tietê. A prefeitura de Laranjal Paulista decretou estado de calamidade pública. Moradores do bairro São Roque estão ilhados e os bombeiros usavam barcos na manhã desta terça para retirar ao menos 20 famílias em áreas de risco.

Compartilhe!