• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

Para evitar surto do coronavírus, países usam câmera térmica para passageiros

Por Redação Rápido no Ar
Governos de países como Reino Unido, Austrália, Rússia, Cingapura e Turquia adotaram medidas em aeroportos e regiões de fronteira para identificar casos suspeitos de coronavírus, doença que causou ao menos nove mortes neste ano. As medidas incluem a criação de zonas especiais exclusivas para passageiros vindos da China, País que registrou a maioria dos casos, o uso de câmeras térmicas para identificar pessoas com alta temperatura corporal e, até mesmo, o fechamento de fronteiras.

No aeroporto britânico Heathrow, de Londres, uma zona especial será destinada exclusivamente para passageiros advindos da cidade chinesa de Wuhan, onde foram registrados a maior parte dos casos de coronavírus, conforme anunciado nesta quarta-feira, 22. Os viajantes passarão por uma avaliação para identificar possíveis sintomas e receber recomendações de saúde.

O Heathrow é o mais movimentado aeroporto da Europa, com cerca de 200 mil passageiros diariamente. Ele recebe três voos diretos da cidade chinesa por semana.

Também nesta quarta, o governo de Cingapura anunciou que uma triagem será feita com todos os passageiros que desembarcarem de voos chineses. Além disso, serão emitidos avisos para a população evitar viagens não essenciais para Wuhan.

Como parte das novas medidas, o Ministério da Saúde de Cingapura também vai tratar como caso suspeito - com isolamento do paciente - qualquer pessoa que apresentar pneumonia ou infecções respiratórias que tenha passagem recente pela China.

Já no aeroporto Nikola Tesla, em Belgrado, a Sérvia implantou o uso de câmeras termais para identificar possíveis pacientes com sintomas da doença. Qualquer pessoa com elevada temperatura corporal será destinada para quarentena em uma clínica de doenças infecciosas. O País também recomendou à população evitar viagens a áreas afetadas.

A Turquia também está preparando uma série de ações, como o uso de câmeras térmicas para identificar pessoas com febre em aeroportos e a separação de passageiros chegados da China. O planejamento envolve levar pacientes suspeitos para uma sala de quarentena e depois, encaminhá-los para um hospital em uma ambulância especial.

Na Austrália, por sua vez, funcionários de fronteira e de biossegurança realizarão inspeções médicas nos passageiros que chegarem nos três voos semanais de Wuhan que chegam a Sydney, além de fornecer aos visitantes panfletos com informações sobre os sintomas da doença.



Mortes e casos confirmados

Há nove mortes confirmadas causadas pelo coronavírus na China, além de 470 infectados. Há casos também nos Estados Unidos, no Japão, na Tailândia, em Taiwan e na Coreia do Sul.

Rússia e Coreia do Norte

O governo russo anunciou ter reforçado o controle sanitário em todos os pontos de fronteira em decorrência do crescente número de casos de coronavírus na China. Até a manhã desta quarta-feira, a Rússia não havia registrado nenhuma morte relacionada à doença. O País também recomenda que a população evite viajar a regiões chinesas com registro de coronavírus.

Também por causa do coronavírus, a Coreia do Norte anunciou o fechamento da entrada de turistas pelas fronteiras com a Rússia e com a China, nas quais foram instalados postos de quarentena. O País também cancelou voos turísticos internacionais.

Para evitar surto do coronavírus, países usam câmera térmica para passageiros

Por Redação Rápido no Ar
Governos de países como Reino Unido, Austrália, Rússia, Cingapura e Turquia adotaram medidas em aeroportos e regiões de fronteira para identificar casos suspeitos de coronavírus, doença que causou ao menos nove mortes neste ano. As medidas incluem a criação de zonas especiais exclusivas para passageiros vindos da China, País que registrou a maioria dos casos, o uso de câmeras térmicas para identificar pessoas com alta temperatura corporal e, até mesmo, o fechamento de fronteiras.

No aeroporto britânico Heathrow, de Londres, uma zona especial será destinada exclusivamente para passageiros advindos da cidade chinesa de Wuhan, onde foram registrados a maior parte dos casos de coronavírus, conforme anunciado nesta quarta-feira, 22. Os viajantes passarão por uma avaliação para identificar possíveis sintomas e receber recomendações de saúde.

O Heathrow é o mais movimentado aeroporto da Europa, com cerca de 200 mil passageiros diariamente. Ele recebe três voos diretos da cidade chinesa por semana.

Também nesta quarta, o governo de Cingapura anunciou que uma triagem será feita com todos os passageiros que desembarcarem de voos chineses. Além disso, serão emitidos avisos para a população evitar viagens não essenciais para Wuhan.

Como parte das novas medidas, o Ministério da Saúde de Cingapura também vai tratar como caso suspeito - com isolamento do paciente - qualquer pessoa que apresentar pneumonia ou infecções respiratórias que tenha passagem recente pela China.

Já no aeroporto Nikola Tesla, em Belgrado, a Sérvia implantou o uso de câmeras termais para identificar possíveis pacientes com sintomas da doença. Qualquer pessoa com elevada temperatura corporal será destinada para quarentena em uma clínica de doenças infecciosas. O País também recomendou à população evitar viagens a áreas afetadas.

A Turquia também está preparando uma série de ações, como o uso de câmeras térmicas para identificar pessoas com febre em aeroportos e a separação de passageiros chegados da China. O planejamento envolve levar pacientes suspeitos para uma sala de quarentena e depois, encaminhá-los para um hospital em uma ambulância especial.

Na Austrália, por sua vez, funcionários de fronteira e de biossegurança realizarão inspeções médicas nos passageiros que chegarem nos três voos semanais de Wuhan que chegam a Sydney, além de fornecer aos visitantes panfletos com informações sobre os sintomas da doença.



Mortes e casos confirmados

Há nove mortes confirmadas causadas pelo coronavírus na China, além de 470 infectados. Há casos também nos Estados Unidos, no Japão, na Tailândia, em Taiwan e na Coreia do Sul.

Rússia e Coreia do Norte

O governo russo anunciou ter reforçado o controle sanitário em todos os pontos de fronteira em decorrência do crescente número de casos de coronavírus na China. Até a manhã desta quarta-feira, a Rússia não havia registrado nenhuma morte relacionada à doença. O País também recomenda que a população evite viajar a regiões chinesas com registro de coronavírus.

Também por causa do coronavírus, a Coreia do Norte anunciou o fechamento da entrada de turistas pelas fronteiras com a Rússia e com a China, nas quais foram instalados postos de quarentena. O País também cancelou voos turísticos internacionais.

INSTAGRAM

Loading interface...
© Rápido no Ar ® - O que acontece você vê!