• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

Isso também vai passar, respire!

Por Sophia Rodovalho
Existem momentos em que nos sentimos sem chão, pensamentos ‘parados’ e um só pensamento, nossa mente presa em um só assunto, temos a impressão que não sairemos do labirinto infinito que nos encontramos.

Ana Regina GL Castillo define a ansiedade como “um sentimento vago e desagradável de medo, apreensão, caracterizado por tensão ou desconforto derivado de antecipação de perigo, de algo desconhecido ou estranho.”.

A ansiedade é definida como uma excessiva agitação do sistema nervoso central, é uma sensação desprazerosa e semelhante ao medo. Os seus efeitos se percebem logo e aparecem em situações reais ou imaginárias de ausência de controle.

Michelli Gonçalves pontua que a ansiedade faz com que nos sintamos pequenos diante das situações e percamoss o interesse pelas coisas que antes nos davam prazer. Ela também desencadeia dificuldade de concentração, de memorizar, de elaboração de pensamentos e de tomada de decisões. Insônia, pesadelos constantes, dúvida sobre a própria competência e apatia geral também estão na lista de consequências”, explica.

Além dos desgastes mentais, alguns sintomas físicos também podem aparecer, como por exemplo a aceleração no coração, sudorese, tremores, tensão muscular, dificuldade para respirar, dores de cabeça, cansaço ao acordar e até queda de cabelo.

A ansiedade pode ser controlada a partir de algumas mudanças de hábito e de pensamentos que apresentamos.

Seguem algumas dicas que podem ajudar a lidar com a ansiedade e controla-la.

1. Crie uma rotina: estabelecer uma rotina é importante para driblar a ansiedade. Por isso, determine horários para acordar, trabalhar, fazer atividades físicas, se alimentar e descansar;

2. Diminua a autocobrança: aceite que casa não vai estar completamente organizada sempre, nem o trabalho completamente entregue, nem você estará sempre bem. Existem dias que produzimos mais, outros menos;

3. Cuide de você e de sua alimentação: o autocuidado é fundamental para lidar com a ansiedade. Cuide do seu corpo, das unhas, dos cabelos, sinalize ao seu cérebro que você está vivo, ativo e produtivo. É preciso mais do que nunca prezar pelos alimentos saudáveis, ricos em frutas, verduras e fibras. O alimento é nosso combustível e deve ser de qualidade, pois a alimentação inadequada prejudica a saúde, a memória, e, muitas vezes, a capacidade de decisão;

4. Faça meditação: a meditação pode ajudar a acalmar, sendo uma grande aliada no combate à ansiedade, ao stress e aos problemas para dormir;

5. Pratique exercícios físicos: evite adiar as atividades físicas. Elas são responsáveis por diminuir a ansiedade e o stress, além de melhorar a qualidade do sono e a concentração.

Desacelere. Respire, procure se conhecer melhor, busque mudar os pensamentos, quando estes girarem em torno de um mesmo assunto.
Peça ajuda, se precisar. Conte com um amigo (a) que te ouça, te entenda e esteja disposto a passar momentos complicados com você. Conte com a ajuda da família, amor e cuidado nunca é demais.

Se perceber que não está conseguindo ‘driblar’ toda esta sensação, busque ajuda profissional, afinal, ninguém merece conviver com tal sentimento, muitas vezes massacrante.

Se ame! Se perdoe! Seja delicado consigo mesmo! Seja espontâneo!

Encerro com um convite a reflexão, a partir do trecho de uma música do Lenine, Paciência: “Enquanto o tempo acelera e pede pressa, eu me recuso faço hora vou na valsa, a vida tão rara (...), o mundo vai girando cada vez mais veloz, a gente espera do mundo e o mundo espera de nós, um pouco mais de paciência (...)”.

Isso também vai passar, respire!

Por Sophia Rodovalho
Existem momentos em que nos sentimos sem chão, pensamentos ‘parados’ e um só pensamento, nossa mente presa em um só assunto, temos a impressão que não sairemos do labirinto infinito que nos encontramos.

Ana Regina GL Castillo define a ansiedade como “um sentimento vago e desagradável de medo, apreensão, caracterizado por tensão ou desconforto derivado de antecipação de perigo, de algo desconhecido ou estranho.”.

A ansiedade é definida como uma excessiva agitação do sistema nervoso central, é uma sensação desprazerosa e semelhante ao medo. Os seus efeitos se percebem logo e aparecem em situações reais ou imaginárias de ausência de controle.

Michelli Gonçalves pontua que a ansiedade faz com que nos sintamos pequenos diante das situações e percamoss o interesse pelas coisas que antes nos davam prazer. Ela também desencadeia dificuldade de concentração, de memorizar, de elaboração de pensamentos e de tomada de decisões. Insônia, pesadelos constantes, dúvida sobre a própria competência e apatia geral também estão na lista de consequências”, explica.

Além dos desgastes mentais, alguns sintomas físicos também podem aparecer, como por exemplo a aceleração no coração, sudorese, tremores, tensão muscular, dificuldade para respirar, dores de cabeça, cansaço ao acordar e até queda de cabelo.

A ansiedade pode ser controlada a partir de algumas mudanças de hábito e de pensamentos que apresentamos.

Seguem algumas dicas que podem ajudar a lidar com a ansiedade e controla-la.

1. Crie uma rotina: estabelecer uma rotina é importante para driblar a ansiedade. Por isso, determine horários para acordar, trabalhar, fazer atividades físicas, se alimentar e descansar;

2. Diminua a autocobrança: aceite que casa não vai estar completamente organizada sempre, nem o trabalho completamente entregue, nem você estará sempre bem. Existem dias que produzimos mais, outros menos;

3. Cuide de você e de sua alimentação: o autocuidado é fundamental para lidar com a ansiedade. Cuide do seu corpo, das unhas, dos cabelos, sinalize ao seu cérebro que você está vivo, ativo e produtivo. É preciso mais do que nunca prezar pelos alimentos saudáveis, ricos em frutas, verduras e fibras. O alimento é nosso combustível e deve ser de qualidade, pois a alimentação inadequada prejudica a saúde, a memória, e, muitas vezes, a capacidade de decisão;

4. Faça meditação: a meditação pode ajudar a acalmar, sendo uma grande aliada no combate à ansiedade, ao stress e aos problemas para dormir;

5. Pratique exercícios físicos: evite adiar as atividades físicas. Elas são responsáveis por diminuir a ansiedade e o stress, além de melhorar a qualidade do sono e a concentração.

Desacelere. Respire, procure se conhecer melhor, busque mudar os pensamentos, quando estes girarem em torno de um mesmo assunto.
Peça ajuda, se precisar. Conte com um amigo (a) que te ouça, te entenda e esteja disposto a passar momentos complicados com você. Conte com a ajuda da família, amor e cuidado nunca é demais.

Se perceber que não está conseguindo ‘driblar’ toda esta sensação, busque ajuda profissional, afinal, ninguém merece conviver com tal sentimento, muitas vezes massacrante.

Se ame! Se perdoe! Seja delicado consigo mesmo! Seja espontâneo!

Encerro com um convite a reflexão, a partir do trecho de uma música do Lenine, Paciência: “Enquanto o tempo acelera e pede pressa, eu me recuso faço hora vou na valsa, a vida tão rara (...), o mundo vai girando cada vez mais veloz, a gente espera do mundo e o mundo espera de nós, um pouco mais de paciência (...)”.

INSTAGRAM

Loading interface...
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
© Rápido no Ar ® - O que acontece você vê!