• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

Prefeitura nebuliza ruas do Abílio Pedro em ofensiva contra dengue em Limeira

Por Redação Rápido no Ar
A Prefeitura de Limeira está intensificando as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. Nesta quinta-feira (13), a Secretaria de Saúde, por meio da Divisão de Controle de Zoonoses, iniciou a nebulização de 32 quadras do Pq. Res. Abílio Pedro, bairro que concentra boa parte dos 105 casos de dengue confirmados neste ano. Os trabalhos seguem até a próxima semana, dependendo das condições climáticas.

Segundo a chefe da Divisão, Pedrina Aparecida Rodrigues Costa, a nebulização visa a eliminação dos mosquitos contaminados. “Essa medida integra os protocolos de controle previstos pelos governos Estadual e Federal e é importante para interromper o ciclo de transmissão da doença”, disse.

Para a pulverização, os agentes seguem todas as precauções de segurança, que incluem uso de macacão, máscara cobrindo boca e nariz, luvas de borracha e óculos. O inseticida (Malathion) fica acondicionado em um equipamento portátil (intercostal) e é aplicado na parte externa dos imóveis, na garagem e no quintal. Porém, portas e janelas são mantidas abertas para facilitar a entrada do produto nas casas.

Pedrina ressalta que o inseticida não é prejudicial ao ser humano, mesmo assim, os moradores devem permanecer fora de casa durante o procedimento e nos 30 minutos seguintes. A população também é orientada a guardar alimentos, água e utensílios de cozinha em local fechado; recolher as roupas do varal; retirar animais de estimação das residências; cobrir vasilhas de comida e água dos animais; retirar roupas de cama e toalhas de mesa; entre outras.

Residente do Abílio Pedro há 30 anos, Neucivaldo de Almeida Pereira, de 40 anos, sentiu de perto os problemas causados pela dengue. Agora em janeiro, ele foi diagnosticado com a doença e ficou uma semana de cama. “Tive febre e dores no corpo”, comentou. A rua onde mora, Dinah Bertolini de Moraes, foi um dos locais escolhidos para receber a nebulização. Enquanto aguardava, na calçada, a chegada da equipe de zoonoses, Neucivaldo falou sobre a necessidade de prevenção. “As pessoas não podem deixar água parada”, disse.

Estratégia

A nebulização é a segunda etapa das chamadas “ações de bloqueio”, desencadeadas nos locais onde há aglomeração de casos positivos da doença. Na semana passada, agentes de endemias e de controle de zoonoses estiveram no Abílio Pedro para executar a primeira parte desse processo, ou seja, vistoriar os imóveis para retirada de criadouros e orientar os moradores.

Independentemente da nebulização, o diretor de Vigilância em Saúde da prefeitura, Alexandre Ferrari, alerta que a população deve estar atenta para evitar a presença de criadouros dentro das residências. “Seguindo o panorama nacional, Limeira apresenta aumento significativo dos casos de dengue neste início de ano. Por esse motivo, é preciso redobrar os cuidados com o mosquito, eliminando todos os recipientes que possam acumular água. A dengue é uma doença que pode evoluir com gravidade”, frisou.


Prefeitura nebuliza ruas do Abílio Pedro em ofensiva contra dengue em Limeira

Por Redação Rápido no Ar
A Prefeitura de Limeira está intensificando as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. Nesta quinta-feira (13), a Secretaria de Saúde, por meio da Divisão de Controle de Zoonoses, iniciou a nebulização de 32 quadras do Pq. Res. Abílio Pedro, bairro que concentra boa parte dos 105 casos de dengue confirmados neste ano. Os trabalhos seguem até a próxima semana, dependendo das condições climáticas.

Segundo a chefe da Divisão, Pedrina Aparecida Rodrigues Costa, a nebulização visa a eliminação dos mosquitos contaminados. “Essa medida integra os protocolos de controle previstos pelos governos Estadual e Federal e é importante para interromper o ciclo de transmissão da doença”, disse.

Para a pulverização, os agentes seguem todas as precauções de segurança, que incluem uso de macacão, máscara cobrindo boca e nariz, luvas de borracha e óculos. O inseticida (Malathion) fica acondicionado em um equipamento portátil (intercostal) e é aplicado na parte externa dos imóveis, na garagem e no quintal. Porém, portas e janelas são mantidas abertas para facilitar a entrada do produto nas casas.

Pedrina ressalta que o inseticida não é prejudicial ao ser humano, mesmo assim, os moradores devem permanecer fora de casa durante o procedimento e nos 30 minutos seguintes. A população também é orientada a guardar alimentos, água e utensílios de cozinha em local fechado; recolher as roupas do varal; retirar animais de estimação das residências; cobrir vasilhas de comida e água dos animais; retirar roupas de cama e toalhas de mesa; entre outras.

Residente do Abílio Pedro há 30 anos, Neucivaldo de Almeida Pereira, de 40 anos, sentiu de perto os problemas causados pela dengue. Agora em janeiro, ele foi diagnosticado com a doença e ficou uma semana de cama. “Tive febre e dores no corpo”, comentou. A rua onde mora, Dinah Bertolini de Moraes, foi um dos locais escolhidos para receber a nebulização. Enquanto aguardava, na calçada, a chegada da equipe de zoonoses, Neucivaldo falou sobre a necessidade de prevenção. “As pessoas não podem deixar água parada”, disse.

Estratégia

A nebulização é a segunda etapa das chamadas “ações de bloqueio”, desencadeadas nos locais onde há aglomeração de casos positivos da doença. Na semana passada, agentes de endemias e de controle de zoonoses estiveram no Abílio Pedro para executar a primeira parte desse processo, ou seja, vistoriar os imóveis para retirada de criadouros e orientar os moradores.

Independentemente da nebulização, o diretor de Vigilância em Saúde da prefeitura, Alexandre Ferrari, alerta que a população deve estar atenta para evitar a presença de criadouros dentro das residências. “Seguindo o panorama nacional, Limeira apresenta aumento significativo dos casos de dengue neste início de ano. Por esse motivo, é preciso redobrar os cuidados com o mosquito, eliminando todos os recipientes que possam acumular água. A dengue é uma doença que pode evoluir com gravidade”, frisou.


INSTAGRAM

Loading interface...
© Rápido no Ar ® - O que acontece você vê!