• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

Polícia prende 4 pessoas que vendiam ilegalmente medicamentos controlados no interior de SP

Por Redação Rápido no Ar
Quatro pessoas, entre elas três mulheres, foram detidas na manhã desta segunda-feira (21), por comercializarem clandestinamente medicamentos controlados pela internet. O flagrante foi realizado pela Dise de Sorocaba (Delegacia de Polícia de Investigações sobre Entorpecentes) no bairro de Jardim Eugênio Silvano.

As investigações tiveram início após informações compartilhadas pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. A especializada passou a apurar a atividade ilícita e levantou indícios de que uma associação criminosa utilizava um site de e-commerce para vender os produtos.

A Polícia Civil identificou as contas bancárias cadastradas para o recebimento dos valores e a partir daí apurou a identidade dos envolvidos no esquema ilegal. A investigação também reconheceu os principais fornecedores destes medicamentos e então prendeu quatro dos envolvidos no crime.



Ao todo, foram recolhidos 10,3 mil comprimidos, 867 folhas de receituário médico, carimbos, 150 caixas para o envio de produtos, R$ 962 em espécie, oito aparelhos celulares e três cartões bancários.

Todo o material foi encaminhado para perícia. O grupo foi encaminhado para unidade especializada e permaneceu à disposição da Justiça por associação criminosa, falsidade ideológica e falsificar, corromper, adulterar ou alterar produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais.

Polícia prende 4 pessoas que vendiam ilegalmente medicamentos controlados no interior de SP

Por Redação Rápido no Ar
Quatro pessoas, entre elas três mulheres, foram detidas na manhã desta segunda-feira (21), por comercializarem clandestinamente medicamentos controlados pela internet. O flagrante foi realizado pela Dise de Sorocaba (Delegacia de Polícia de Investigações sobre Entorpecentes) no bairro de Jardim Eugênio Silvano.

As investigações tiveram início após informações compartilhadas pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. A especializada passou a apurar a atividade ilícita e levantou indícios de que uma associação criminosa utilizava um site de e-commerce para vender os produtos.

A Polícia Civil identificou as contas bancárias cadastradas para o recebimento dos valores e a partir daí apurou a identidade dos envolvidos no esquema ilegal. A investigação também reconheceu os principais fornecedores destes medicamentos e então prendeu quatro dos envolvidos no crime.



Ao todo, foram recolhidos 10,3 mil comprimidos, 867 folhas de receituário médico, carimbos, 150 caixas para o envio de produtos, R$ 962 em espécie, oito aparelhos celulares e três cartões bancários.

Todo o material foi encaminhado para perícia. O grupo foi encaminhado para unidade especializada e permaneceu à disposição da Justiça por associação criminosa, falsidade ideológica e falsificar, corromper, adulterar ou alterar produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais.

INSTAGRAM

Loading interface...
© Rápido no Ar ® - O que acontece você vê!