Polícia Civil da Capital apreende mais de 11,5 mil máquinas caça-níqueis e 17 mil celulares em 2019

Ao longo do ano passado, a Polícia Civil da Capital de São Paulo apreendeu 11.543 máquinas caça-níqueis e 17.172 celulares, durante as operações Caracol e Mobile, respectivamente, deflagradas para combater jogos de azar e roubos, furtos e receptação de celulares, no centro e nas zonas norte, sul, leste e oeste da cidade.

A Operação Caracol é uma ação permanente, implementada pelo Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap), deflagrada desde janeiro do ano de 2019. As atividades de campo foram realizadas pela Unidade de Inteligência Policial (UIP) e sedimentadas pelas equipes das oito Delegacias Seccionais.

De janeiro a dezembro, a ação realizou 1.673 diligências, resultando na recolha de 11.543 máquinas caça-níqueis e na autuação de 1.258 pessoas. Somente no centro da cidade, onde foi apreendida a maior quantidade, a 1ª Seccional deflagrou 354 diligências, aplicou o mesmo número de autuações e apreendeu 3.349 equipamentos.

As atividades também contaram com empenho de equipe da Prefeitura Municipal, que ficou responsável por interditar locais com reincidência do crime. Desta forma, foi criada uma força tarefa – uma modalidade de força policial conjunta – para combater o crime organizado, visando proporcionar mais segurança à população paulista.

Apreensões de celulares

No mesmo período, as unidades subordinadas ao Decap realizaram a Operação Mobile, que confiscou 17.617 aparelhos de telefonia móvel em toda a cidade de São Paulo. Ao todo, 2.806 estabelecimentos foram vistoriados, resultando na apreensão de 17.172 celulares usados e 445 novos – de procedência ilícita ou duvidosa.

Os agentes ainda realizaram 469 flagrantes, resultando na prisão de 553 pessoas. Somente a 1ª Seccional realizou, no centro da capital, fiscalização em 250 estabelecimentos, apreensão de 3.925 telefones usados e 255 novos, 231 flagrantes e 308 prisões. As quantidades são recordes se comparadas às demais regiões.

Paralelamente ao trabalho investigativo e preventivo, desde 2015, a Secretaria de Segurança Pública sistematizou o registro do IMEI nos B.Os, tornando possível o bloqueio automático dos celulares junto às operadoras. A medida também visa combater e roubos, furtos e receptação de celulares.

Assim, quando o celular for recuperado e, após passar por perícia, a Polícia Civil poderá contatar o proprietário para devolver o bem. Para facilitar a identificação de aparelhos irregulares e agilizar as fiscalizações, os policiais podem consultar as restrições de uso dos celulares a partir dos tablets das viaturas. Essa verificação pode ser feita também pelo cidadão, no momento da compra, no site da pasta: www.ssp.sp.gov.br.

Compartilhe!