• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

Pedido de abertura de CP para cassação de vereadores que fizeram paródia será votado na segunda-feira em Limeira

Por Lucas Claro
Os vereadores da Câmara Municipal de Limeira vão votar na próxima segunda-feira (21), a denúncia que pede a abertura de uma Comissão Processante (CP) para cassação dos vereadores Clayton Aparecido da Silva (PSC) e Marco Antônio Xavier (PSB).

A denúncia foi protocolada na última terça-feira (15), por Sebastião Augusto Alexandre, um empresário de 50 anos, morador de Limeira (SP), após o vazamento de áudios nas redes sociais em que os vereadores gravaram uma paródia em que brincavam com assuntos sérios da cidade. A gravação ocorreu durante um churrasco que aconteceu na casa do vereador Marco Xavier na última semana.

Segundo Augusto Alexandre, os vereadores fizeram mais do que uma paródia e agiram contra o próprio mandato. Em um trecho do pedido que foi protocolado, o empresário afirma – “Os vereadores atentam contra a moralidade pública, contra o decoro parlamentar, contra seus pares camarários, os eleitores que os elegeram, e contra o próprio mandato e contra a própria instituição quando afirma o Vereador Clayton, em seu áudio, que torcia para que o projeto de lei, Escola Sem Partido, por ele mesmo protocolado, fosse rejeitado pela casa, demonstrando assim completo desprezo pelo cargo que ocupa”.

O pedido foi analisado pela Secretaria de Negócios Jurídicos da Câmara Municipal de Limeira que aceitou o pedido. Desta forma, a abertura da Comissão Processante será o primeiro assunto em pauta na sessão da próxima segunda-feira.

Para abertura da CP, serão necessários 11 votos favoráveis dos vereadores. Nem o presidente da casa, o vereador José Roberto Bernardo (PSD), e nem os envolvidos, Clayton Silva e Marco Xavier, vão votar.

Se for aprovada a abertura da Comissão Processante serão escolhidos os membros dela que será composta por cinco vereadores, incluindo o presidente e relator. A comissão então terá 90 dias para apresentar o relatório pedindo a cassação ou absolvição dos vereadores, o que será votado entre os parlamentares durante uma sessão. Caso o pedido de abertura da CP não atinja 11 votos favoráveis, ela será arquivada.

A reportagem do Rápido no Ar procurou o presidente da Câmara Municipal, o vereador Zé da Mix, que não quis se posicionar sobre o assunto. Entramos em contato também com os vereadores Clayton Silva e Marco Xavier que afirmaram que não gostariam de comentar o caso.

Pedido de abertura de CP para cassação de vereadores que fizeram paródia será votado na segunda-feira em Limeira

Por Lucas Claro
Os vereadores da Câmara Municipal de Limeira vão votar na próxima segunda-feira (21), a denúncia que pede a abertura de uma Comissão Processante (CP) para cassação dos vereadores Clayton Aparecido da Silva (PSC) e Marco Antônio Xavier (PSB).

A denúncia foi protocolada na última terça-feira (15), por Sebastião Augusto Alexandre, um empresário de 50 anos, morador de Limeira (SP), após o vazamento de áudios nas redes sociais em que os vereadores gravaram uma paródia em que brincavam com assuntos sérios da cidade. A gravação ocorreu durante um churrasco que aconteceu na casa do vereador Marco Xavier na última semana.

Segundo Augusto Alexandre, os vereadores fizeram mais do que uma paródia e agiram contra o próprio mandato. Em um trecho do pedido que foi protocolado, o empresário afirma – “Os vereadores atentam contra a moralidade pública, contra o decoro parlamentar, contra seus pares camarários, os eleitores que os elegeram, e contra o próprio mandato e contra a própria instituição quando afirma o Vereador Clayton, em seu áudio, que torcia para que o projeto de lei, Escola Sem Partido, por ele mesmo protocolado, fosse rejeitado pela casa, demonstrando assim completo desprezo pelo cargo que ocupa”.

O pedido foi analisado pela Secretaria de Negócios Jurídicos da Câmara Municipal de Limeira que aceitou o pedido. Desta forma, a abertura da Comissão Processante será o primeiro assunto em pauta na sessão da próxima segunda-feira.

Para abertura da CP, serão necessários 11 votos favoráveis dos vereadores. Nem o presidente da casa, o vereador José Roberto Bernardo (PSD), e nem os envolvidos, Clayton Silva e Marco Xavier, vão votar.

Se for aprovada a abertura da Comissão Processante serão escolhidos os membros dela que será composta por cinco vereadores, incluindo o presidente e relator. A comissão então terá 90 dias para apresentar o relatório pedindo a cassação ou absolvição dos vereadores, o que será votado entre os parlamentares durante uma sessão. Caso o pedido de abertura da CP não atinja 11 votos favoráveis, ela será arquivada.

A reportagem do Rápido no Ar procurou o presidente da Câmara Municipal, o vereador Zé da Mix, que não quis se posicionar sobre o assunto. Entramos em contato também com os vereadores Clayton Silva e Marco Xavier que afirmaram que não gostariam de comentar o caso.

INSTAGRAM

Loading interface...
© Rápido no Ar ® - O que acontece você vê!