• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

Ministério Público irá abrir inquérito para apurar denúncia de 'indústria de multas' em Limeira

Por Redação Rápido no Ar
A Promotoria do Patrimônio Público de Limeira irá abrir inquérito para apurar a denúncia de uma possível indústria de multas no município. As declarações foram feitas por um funcionário de uma das empresas, a Cobrasin, em entrevista à Rádio Bandeirantes, na última segunda-feira (13), onde ele cita a existência de uma indústria de multas e a manipulação de radares com a finalidade arrecadatória, e usou a arrecadação de multas de excesso de velocidade em Limeira como exemplo, apontando que um único radar poderia render em torno de R$ 1 e 1.2 milhão por mês.

De acordo com a promotora Dra. Débora Bertolini Ferreira Simonetti a denúncia foi recebida pela Promotoria do Patrimônio Público de Limeira pela imprensa oficial do Ministério Público de São Paulo e já foi protocolado. A partir de agora serão analisados a existência de inquérito civil sobre o assunto e sobre os contratos.

No caso da existência de inquéritos arquivados, eles devem ser desarquivados e serão reabertas as investigações. Já no caso de não haver inquéritos sobre os contratos e sobre o caso, será realizada a abertura de um inquérito civil. Assista:

Ministério Público irá abrir inquérito para apurar denúncia de 'indústria de multas' em Limeira

Por Redação Rápido no Ar
A Promotoria do Patrimônio Público de Limeira irá abrir inquérito para apurar a denúncia de uma possível indústria de multas no município. As declarações foram feitas por um funcionário de uma das empresas, a Cobrasin, em entrevista à Rádio Bandeirantes, na última segunda-feira (13), onde ele cita a existência de uma indústria de multas e a manipulação de radares com a finalidade arrecadatória, e usou a arrecadação de multas de excesso de velocidade em Limeira como exemplo, apontando que um único radar poderia render em torno de R$ 1 e 1.2 milhão por mês.

De acordo com a promotora Dra. Débora Bertolini Ferreira Simonetti a denúncia foi recebida pela Promotoria do Patrimônio Público de Limeira pela imprensa oficial do Ministério Público de São Paulo e já foi protocolado. A partir de agora serão analisados a existência de inquérito civil sobre o assunto e sobre os contratos.

No caso da existência de inquéritos arquivados, eles devem ser desarquivados e serão reabertas as investigações. Já no caso de não haver inquéritos sobre os contratos e sobre o caso, será realizada a abertura de um inquérito civil. Assista:

INSTAGRAM

Loading interface...
© Rápido no Ar ® - O que acontece você vê!