• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

Polícia Civil de Limeira fecha três postos de combustíveis

Por Denis Martins
A Polícia Civil de Limeira (SP), por meio da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), realizou nesta quarta-feira (20) uma operação para fiscalizar postos de combustíveis da cidade. Investigadores tinham denúncias sobre eventuais adulterações nos combustíveis e também queixas sobre o volume abastecido. Dos seis postos visitados, três foram lacrados e pessoas foram presas.

As atividades foram comandadas pelo delegado William Marchi e contaram com o apoio do Instituto de Criminalística (IC), já que os peritos fizeram os testes solicitados pelos policiais civis. Os investigadores tinham o amparo de diversas denúncias. “Diversas denúncias aportaram nesta unidade policial dando conta de que estabelecimentos comerciais no ramo de postos de combustíveis estariam comercializando combustíveis adulterados e/ou mediante fraude, qual seja, com disponibilização de quantidade real menor daquela constante na bomba de combustível”, citaram no registro da ocorrência.

Seis estabelecimentos comerciais em diferentes pontos da cidade foram visitados. Três deles foram lacrados após a identificação de eventuais irregularidades. São postos que ficam no Cecap, no Centro e na Vila Conceição.


Num dos postos, por exemplo, os policiais constataram que, numa análise preliminar feita pelos peritos do IC, o teor de álcool e água adicionados no combustível gasolina estava expressivamente acima do teor autorizado em lei, “adulterando a qualidade, especificações e composições, comercializando-os como produto de qualidade superior a alto custo”, informaram os policiais no registro do caso. O gerente deste estabelecimento informou aos policiais que desconhecia qualquer irregularidade ou adulteração no combustível.

Dois gerentes foram levados para a DIG e acabaram presos em flagrante. Dois estabelecimentos fechados pertencem ao mesmo proprietário. O indiciamento é por crime contra as relações de consumo e contra a ordem econômica. Não cabe fiança na esfera policial e os responsáveis foram presos.

Amostras dos combustíveis foram recolhidas para devida análise do IC e laboratórios correspondentes.

Polícia Civil de Limeira fecha três postos de combustíveis

Por Denis Martins
A Polícia Civil de Limeira (SP), por meio da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), realizou nesta quarta-feira (20) uma operação para fiscalizar postos de combustíveis da cidade. Investigadores tinham denúncias sobre eventuais adulterações nos combustíveis e também queixas sobre o volume abastecido. Dos seis postos visitados, três foram lacrados e pessoas foram presas.

As atividades foram comandadas pelo delegado William Marchi e contaram com o apoio do Instituto de Criminalística (IC), já que os peritos fizeram os testes solicitados pelos policiais civis. Os investigadores tinham o amparo de diversas denúncias. “Diversas denúncias aportaram nesta unidade policial dando conta de que estabelecimentos comerciais no ramo de postos de combustíveis estariam comercializando combustíveis adulterados e/ou mediante fraude, qual seja, com disponibilização de quantidade real menor daquela constante na bomba de combustível”, citaram no registro da ocorrência.

Seis estabelecimentos comerciais em diferentes pontos da cidade foram visitados. Três deles foram lacrados após a identificação de eventuais irregularidades. São postos que ficam no Cecap, no Centro e na Vila Conceição.


Num dos postos, por exemplo, os policiais constataram que, numa análise preliminar feita pelos peritos do IC, o teor de álcool e água adicionados no combustível gasolina estava expressivamente acima do teor autorizado em lei, “adulterando a qualidade, especificações e composições, comercializando-os como produto de qualidade superior a alto custo”, informaram os policiais no registro do caso. O gerente deste estabelecimento informou aos policiais que desconhecia qualquer irregularidade ou adulteração no combustível.

Dois gerentes foram levados para a DIG e acabaram presos em flagrante. Dois estabelecimentos fechados pertencem ao mesmo proprietário. O indiciamento é por crime contra as relações de consumo e contra a ordem econômica. Não cabe fiança na esfera policial e os responsáveis foram presos.

Amostras dos combustíveis foram recolhidas para devida análise do IC e laboratórios correspondentes.

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
© Rápido no Ar ® - O que acontece você vê!