• Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

Padrasto tem prisão decretada após morte de bebê em Limeira

Por Redação Rápido no Ar
A Polícia Civil de Limeira, por meio da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), representou pela prisão preventiva do padrasto da criança de apenas 1 ano que foi encaminhada em estado grave para a Santa Casa, na noite de ontem, e faleceu no hospital.

O delegado interino da DDM, Munir Prestes, informou que o padrasto, em depoimento, manteve a versão de queda acidental, mas os relatórios médicos contradizem a versão e, por isso, representou pela prisão preventiva, já expedida pela Justiça, do rapaz, que continua sendo investigado. "Pela manhã recebemos o caso que foi registrado no plantão policial sobre eventual maus-tratos contra a criança. Nossa equipe, de imediato, se deslocou à Santa Casa e, até então, a gente não tinha muitos elementos contundentes em desfavor do investigado, sequer oitivas, então nossos policiais civis trouxeram todas as partes até a delegacia e fizemos as oitivas", disse Prestes.

No depoimento ao delegado, o padrasto manteve a versão inicial, ou seja, de queda acidental da criança. "Ele disse que, em tese, a criança teria caído de maneira acidental, o que não estava em acordo com a fala precisa da médica pediatra. Ela descreveu que a vítima tinha diversos hematomas pelo corpo. Não seriam, em tese, condizentes com uma queda acidental", completou o delegado.



A mãe do bebê não estava no local no momento em que a criança se feriu e, conforme mostrado ontem pelo Rápido no Ar, a princípio tratava-se de um engasgamento, mas no hospital foram constatadas lesões, inclusive traumatismo craniano.

Ainda de acordo com o delegado, o legista responsável pelo laudo confirmou a lesão por Síndrome do Bebê Sacudido (SBS), uma lesão cerebral grave resultante de um balanço agressivo. "Entendemos que, diante da contradição entre o depoimento dele e a versão médica, seria de boa sugestão representar o Poder Judiciário pela prisão preventiva. O juiz da 2ª Vara Criminal expediu a prisão e ele foi preso", finalizou.

Com o óbito da criança, a Polícia Civil também requereu ao Instituto Médico Legal (IML) exame necroscópico.

O CASO
A criança foi socorrida para a Santa Casa no final da tarde desta quinta-feira (2) em estado grave. O socorro foi feito por policiais militares, que a princípio teriam recebido um chamado para socorrer um bebê engasgado.

Porém, depois que os PMs apresentaram a criança na Santa Casa, lesões foram descobertas e o bebê está internado em estado grave, pois há traumatismo craniano e três costelas fraturadas. O Samu também foi ao imóvel, mas a criança já tinha sido levada para o hospital.

Ela teve a morte confirmada na tarde desta sexta-feira.

Padrasto tem prisão decretada após morte de bebê em Limeira

Por Redação Rápido no Ar
A Polícia Civil de Limeira, por meio da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), representou pela prisão preventiva do padrasto da criança de apenas 1 ano que foi encaminhada em estado grave para a Santa Casa, na noite de ontem, e faleceu no hospital.

O delegado interino da DDM, Munir Prestes, informou que o padrasto, em depoimento, manteve a versão de queda acidental, mas os relatórios médicos contradizem a versão e, por isso, representou pela prisão preventiva, já expedida pela Justiça, do rapaz, que continua sendo investigado. "Pela manhã recebemos o caso que foi registrado no plantão policial sobre eventual maus-tratos contra a criança. Nossa equipe, de imediato, se deslocou à Santa Casa e, até então, a gente não tinha muitos elementos contundentes em desfavor do investigado, sequer oitivas, então nossos policiais civis trouxeram todas as partes até a delegacia e fizemos as oitivas", disse Prestes.

No depoimento ao delegado, o padrasto manteve a versão inicial, ou seja, de queda acidental da criança. "Ele disse que, em tese, a criança teria caído de maneira acidental, o que não estava em acordo com a fala precisa da médica pediatra. Ela descreveu que a vítima tinha diversos hematomas pelo corpo. Não seriam, em tese, condizentes com uma queda acidental", completou o delegado.



A mãe do bebê não estava no local no momento em que a criança se feriu e, conforme mostrado ontem pelo Rápido no Ar, a princípio tratava-se de um engasgamento, mas no hospital foram constatadas lesões, inclusive traumatismo craniano.

Ainda de acordo com o delegado, o legista responsável pelo laudo confirmou a lesão por Síndrome do Bebê Sacudido (SBS), uma lesão cerebral grave resultante de um balanço agressivo. "Entendemos que, diante da contradição entre o depoimento dele e a versão médica, seria de boa sugestão representar o Poder Judiciário pela prisão preventiva. O juiz da 2ª Vara Criminal expediu a prisão e ele foi preso", finalizou.

Com o óbito da criança, a Polícia Civil também requereu ao Instituto Médico Legal (IML) exame necroscópico.

O CASO
A criança foi socorrida para a Santa Casa no final da tarde desta quinta-feira (2) em estado grave. O socorro foi feito por policiais militares, que a princípio teriam recebido um chamado para socorrer um bebê engasgado.

Porém, depois que os PMs apresentaram a criança na Santa Casa, lesões foram descobertas e o bebê está internado em estado grave, pois há traumatismo craniano e três costelas fraturadas. O Samu também foi ao imóvel, mas a criança já tinha sido levada para o hospital.

Ela teve a morte confirmada na tarde desta sexta-feira.
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
© Rápido no Ar ® - O que acontece você vê!